Filmes marcantes na utilização de efeitos visuais

Tron“, de 1982 – Contém quase 15 minutos de imagens 3D feitas em computador.

Young Sherlock Holmes“, de 1985 – Primeira personagem criada em computador aparece durante apenas alguns segundos. A equipa a cargo dos efeitos visuais demorou 6 meses para conseguir este feito.

The Abyss“, de 1989 – Primeiros efeitos realisticos de água feitos em computador.

Terminator 2: Judgement Day“, de 1991 – Foi um marco na história dos efeitos visuais, porque ao contrário do verificado em “Young Sherlock Holmes”, o realismo das personagens geradas em computador é ainda hoje considerado muito grande. Foi também a primeira vez que os efeitos especiais foram gerados em PC e não como aconteceu nos exemplos anteriores, onde foram feitos em super computadores.

https://www.stanwinstonschool.com/ckeditor_assets/pictures/883/content_ae6df9525.jpg?1353357280

Jurassic Park“, de 1993 – Apesar de maior parte dos dinossauros serem bonecos gigantes mecânicos (o que por si só é um grande feito para a altura), Jurassic Park trouxe efeitos visuais incríveis para a sua época e é ainda hoje considerado um clássico na história do cinema e dos efeitos visuais.

Toy Story“, de 1995 – Este eterno clássico de animação foi o primeiro filme inteiramente feito em computador.

The Perfect Storm“, de 2000 – A construção de fluídos (no caso, água) em computador, foi a base em que muitos filmes que vemos hoje, se inspiraram para fazer os efeitos não só de água, mas também de gases e chamas.

O Senhor dos Aneis“, de 2001 a 2003 – Para além da evolução de efeitos de água, fogo, animação e movimentos de câmara digital vista nos fantásticos filmes de Peter Jackson, a grande contribuição de Senhor dos Aneis foi o primeiro uso de inteligência virtual para as cenas com grandes exércitos feitos em computador. Usando um programa específicamente criado para o pretendido, a equipa de efeitos visuais, criava enormes grupos de personagens feitas digitalmente, e cada uma destas era caracterizada aleatoriamente (o seu peso, tamanho, sujidade, roupa e até mesmo personalidade). Cada personagem tinha também uma variedade de acções que podia concretizar, isto é, foram criadas milhares de acções possíveis , e depois eram atribuídas às personagens, mais uma vez aleatoriamente, as que estas podiam realizar. Tudo isto era processado no “cérebro digital” da personagem, e assim ela comportava-se calculando uma entre várias possibilidades de agir. O resultado final era uma “escolha” de se comportar de uma certa maneira, diferente de todas as outras animações presentes, criando assim exércitos onde todos os personagens teriam uma animação única.

Final Fantasy: The Spirits Within“, de 2001 – Apesar de “Senhor dos Aneis” ter ficado conhecido como o primeiro filme que usou Motion Capture para a criação da personagem Gollum, foi em The Spirits Within, que esta tecnologia apareceu pela primeira vez.

http://vignette3.wikia.nocookie.net/finalfantasy/images/f/fc/DrSid.jpg/revision/latest?cb=20071105031421

The Matrix Reloaded” e “The Matrix Revolutions“, ambos de 2003 – Melhoraram significativamente a tecnologia de Motion Capture, com pormenores super realisticos acrescentados às mãos e cara das personagens.

Sky Captain and the World of Tomorrow“, de 2004 – Primeiro filme a usar o cenário (fundo) inteiramente criado em computador (CGI). Apesar de não ter sido um sucesso de bilheteira, o set de green e blue screen são hoje utilizados praticamente em todos os filmes que recorrem ao uso extensivo de efeitos especiais, como “300” ou “The Hobbit”.

Avatar“, de 2009 – Após 12 anos de espera pela tecnologia apropriada, o enorme sucesso de bilheteira e espectacular filme de James Cameron junta toda a tecnologia, previamente referida em Avatar. Cameron não se limitou a usar tecnologias já disponíveis, inventou também as suas. Para além de filmar os actores nos fatos onde os seus movimentos seriam transpostos para um computador, e depois usados no corpo de uma personagem feita digitalmente (Motion Capture), o realizador colocou uma pequena câmara directamente á frente da cara dos actores. Estes teriam sensores por toda a face nos locais onde as micro-expressões faciais eram mais salientes. Tudo para lhe ser possível assistir à performance da cara computadorizada do actor. Isto é, Cameron, com esta técnica, podia ver a personagem computadorizada e os seus movimentos faciais no momento em que os actores estavam a ser gravados, não tendo assim de esperar pelo processo de animação digital para ver o resultado final. Também foi usada pela primeira vez no set de Avatar, uma câmara que mostrava ao camera man, através de um monitor, o que ele estaria a filmar, dentro do mundo digital. Isto servia para o camera man ter noção de qual seria o melhor ângulo e posição para filmar o mundo computadorizado.

Gravity“, de 2013 – Os realizadores de Gravidade fizeram quase o inverso de James Cameron em Avatar, em vês de levarem os actores ao set, levaram o set aos actores. Isto é, o filme Gravidade, antes de sequer ter os seus actores contratados, já tinha sido “realizado” várias vezes em computador. Quando foram escolhidos os actores, estes apenas se limitaram a ser filmados dentro de uma espécie de cápsula que simulava o ambiente sem gravidade do espaço. Para além desta peculiar maneira de filmar, Gravidade mostrou efeitos no que toca à luminosidade, nunca antes visto em filme. Para que ilustrassem a luz digital o mais próximo possível da luz real, os realizadores calcularam exactamente como esta seria no espaço, no local onde os personagens se situavam.

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s